Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009

*Tiro do bolso a minha moeda da sorte de uma rupia.

- Caras, a resposta é A, coroa, a resposta é C. Ok?

O público contém a respiração, perplexo ante o meu desassombro. O Prem Kumar acena com a cabeça. Os olhos voltam a brilhar-lhe.

Atiro a moeda ao ar.

Todos os olhares seguem o seu voo, quase em câmara lenta. Deve ser a única moeda de uma rupia da história de que está dependente um bilião. Cai sobre o tampo da minha mesa e fica a rodopiar antes de se imobilizar. O Prem Kumar inclina-se e anuncia:

- Caras!

- Nesse caso, a minha resposta é A.

 

 

Este excerto do livro "Quem Quer Ser Bilionário?" mostra na perfeição a confiança que Ram Mohammad Thomas depositava na sua moeda da sorte.

Ao longo de toda a história, Ram guiava-se pela sua moeda mas sempre escolhia "caras".

 

"Se sair caras, faço"

"Se sair caras, vou"

"Se sair caras, confio"

 

E assim traçou o seu destino.

Isto fez-me pensar que todos os dias, em todas as horas, todos nós lançamos moedas ao ar: as escolhas que fazemos, os caminhos que seguimos, as opções que realizamos... Mesmo quando fazemos "pim-pam-pum" estamos a contribuir para o nosso destino.

Mas será mesmo assim?

Não haverá um qualquer instinto dentro de nós que nos guia?

Como vou provar em baixo, a sorte... somos nós que a fazemos :)

 

*- Nessa mesma noite, quando te levei para minha casa, antes de me contares a tua história, atiraste uma moeda ao ar. Porquê?

- Não tinha a certeza de poder confiar em ti. Atirar a moeda ao ar era a minha maneira de decidir. Se saísse cara, contava-te tudo. Se saísse coroa, dizia-te adeus. Mas saiu cara.

- Portanto, se tivesse saído coroa em vez de cara, não me tinhas contado a tua história?

- Não podia sair coroa.

- Acreditas assim tanto na sorte?

- O que tem a sorte a ver com isto? Olha, repara bem nesta moeda.

Tiro a moeda de uma rupia do bolso do casaco e estendo-lha.

A Smita examina-a, vira-a e revira-a.

- Mas... é cara dos dois lados!

- Exactamente. É a minha moeda da sorte mas, como te disse, a sorte não tem nada a ver com isto.

 

*"Quem Quer Ser Bilionário?", Vikas Swarup

 



publicado por mafalda às 13:53 | link do post | comentar

42 comentários:
De Just Moments a 26 de Agosto de 2009 às 19:14
Parabéns Amiga!!

O texto está 5*..
Bela analogia!

A sorte é para os auspiciosos, e para os que sabem reconhecer as oportunidades!!

Parabéns..

Beijinhos


De mafalda a 31 de Agosto de 2009 às 13:42
:) obrigada!
a sorte protege os audazes, não é assim? ;)
estou contente por teres gostado.
beijoca assim grande para ti :)


De Teresa Isabel Silva a 28 de Agosto de 2009 às 01:48
Adorei o filme, está mesmo uma coisa espetacular!!!
Não acredito de todo na sorte, mas kem sabe se talvez ela existe mesmo!

Bjxxx


De mafalda a 31 de Agosto de 2009 às 13:44
olá, querida.
também adorei o filme e digo-te que o livro não lhe fica atrás (na minha opinião).
quanto à sorte... tem de haver qualquer coisa! não sei se o nome correcto será sorte, destino, ou qualquer outra coisa... mas acredito que haja assim uma pontinha de qualquer coisa que nos faz traçar o nosso caminho.
beijinhos.


De pingodemel a 28 de Agosto de 2009 às 11:07
olá miguinha

...parece-me caso de confiança cega :)

beijinho e bom fim de semana


De mafalda a 31 de Agosto de 2009 às 13:45
olá, miguinha.
eu acho que é mais instinto do que outra coisa :)
beijinhos, boa semana.


De S a 28 de Agosto de 2009 às 13:18
Fogo, adorei o texto... e fiquei com mias vontade de ler o livro...


De mafalda a 31 de Agosto de 2009 às 13:45
tens mesmo de ler, acredita! está o máximo!


De S a 1 de Setembro de 2009 às 01:04
mal vá de nvo á biblioteca, vou requisitá-lo...


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 10:10
sim, faz isso!
a minha prima também anda a lê-lo (ela já viu o filme e gostou)... acho que ela vai gostar.


De S a 1 de Setembro de 2009 às 10:49
è o que vou fazer mesmo =)


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 11:07
que bom! aposto que vais gostar!


De S a 1 de Setembro de 2009 às 11:31
se tu dizes eu acredito =)


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 11:52
agora fiquei com receio de desiludir-te ;)


De S a 1 de Setembro de 2009 às 12:19
não tenhas =)


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 12:21
naaa! não vou ter ;) acredito realmente que vais gostar!


De S a 1 de Setembro de 2009 às 12:24
é bem provavel, pois os livros são sempre muito melhores e mais descritivos que os filmes...


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 12:27
eu estava com grandes expectativas pois gostei bastante do filme! digo-te desde já, embora já o devas saber pois eu já o disso um milhão de vezes (lol), que o livro é diferente! de certa forma, livro e filme são duas histórias que se cruzam... mas é tão liiindo!!! :) e surpreendente também!


De S a 1 de Setembro de 2009 às 12:46
estas aguçar ainda mais a minha curiosidade, lol, tou a ficar mesmo curiosa, eu o que me fez não gostar um pouco também do filme, foi a história dos oscares...


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 13:58
os oscares? porquê?
eu também comecei por distanciar-me do filme por causa dos oscares mas isso só aconteceu porque eu achava que o estranho caso de benjamin button merecesse mais... ainda não tinha visto nenhum dos dois e enganei-me redondamente!
detestei o benjamin button em filme (adoro o livro) e isso levou-me a ver o bilionário; queria comparar os dois.
acabei por adorar este último e o livro não lhe fica nada atrás :)


De S a 1 de Setembro de 2009 às 14:52
Porque achava que o Benjamin Botton merevia mais e então fui um pouco preconceituosa, quando o vi já estava com a intenção de criticar, na altura dos oscares também não tinha visto nehum dos dois, mas gostei muito mais do benjamin botton, achei o filme bem conseguido, a história linda e triste...


De mafalda a 1 de Setembro de 2009 às 21:51
eu também estava como tu, quando foi a entrega dos oscares :) sempre pensei que o benjamin merecia mais! apenas tinha uma noção do que eram ambas as histórias e o homem que nasceu idoso e morreu bebé cativou-me mais, por isso estava um bocadinho zangada com o bilionário.
li o benjamin e não descansei até ver o filme! adorei realmente o livro mas o filme é completamente, mesmo completamente, diferente! o livro tem 75 páginas e o filme tem 3 horas, imagina quanto foi acrescentado a este último!!! estava à espera de ver uma coisa e saiu-me o contrário... fiquei tão desiludida!!!
foi nesse dia que decidi ver o bilionário; tinha de comparar.
adorei o filme! achei que a história foi muito bem conseguida! depois li o livro e... adorei o livro (como toda a gente já sabe, lol).
resumindo: na minha opinião, todos aqueles oscares foram muito bem entregues (tens todo o direito de discordar).


De S a 2 de Setembro de 2009 às 00:55
Foi exactamente como eu e até mesmo a difernça o orçamento de um filme para o outro tinha sido enorme...
Eu vi o livro na net e pensei o mesmo, como é que um livro tão pequenino tinha dado 3 horas de filme, quando livros enormes dão filmes de no máximo 2 horas... eu não fiquei desiludida, gostei bastante do filme, da história..
Eu achei o quem quer ser bilionário um pouco irreal, impossível, mas não é totalmente mau...
continuo achar os oscares mal entregues =)


De mafalda a 2 de Setembro de 2009 às 09:24
:) percebo o que queres dizer mas se formos ver as duas histórias, a do benjamin é mais irreal e impossível ;) (isto sou eu a brincar contigo)
o bilionário pretende passar a imagem de que não é preciso ter uma vasta cultura para se concorrer (e ganhar) um concurso de tv, é preciso, isso sim, experiência de vida; acho que essa é a mensagem principal. depois vem a visão do que é a índia realmente e do que se está disposto a fazer para conquistar um grande amor.
talvez tenhas gostado mais do benjamin por não teres lido o livro; já gora, leste? é que as histórias são opostas e foi isso que mais me desiludiu! não digo que o filme seja mau de todo, não é nada disso, apenas é um bocadinho chato, lol, e eu estava à espera que fosse como no livro :(
eu mudei de opinião quanto aos oscares, agora acho que foram bem entregues :)


De S a 2 de Setembro de 2009 às 12:40
eu concordo que a mensagem principal seja essa, mas não concordo que as coisas seja assim, pois se formos a ver bem podes ter muita expriencia de vida, mas se não leres algo, aprenderes algo, nunca saberas a maioria das coisa... a vida na Indía não é nada fácil, já tinha lido um livro sobre isso, mete-me confusão eles estarem a morrer de fome e não comerem a vaca que tem ao lado porque acreditam que é a reencarnação dos antepassados...
Não, não li o livro, só o vi, mas na altura acheit tão pequeno que até pensei que não fosse do mesmo filme, lol, o livro é oposto porque?
eu não achei nada aborrecido, adorei tudo no filme e oscares continuava a achar que deviam ser entregues a ele...


De mafalda a 2 de Setembro de 2009 às 15:48
claro que também houve a coincidência de saírem aquelas perguntas; nunca na vida ele se teria safado se não saíssem aquelas perguntas mas, tal como se diz, "é como nos filmes" :) saiu-lhe tudo de feição ;)

o livro do benjamin é o oposto em muitos aspectos, vou tentar enumerar alguns que me recordo:
- o pai não o abandonou
- não há uma única referência à casa de idosos onde ele cresceu
- apaixonou-se pela rapariga mas depressa a abandonou pois perdeu o interesse (ele estava a ficar novo e ela estava a ficar idosa)

já nestes três aspectos se pode ver como as histórias são diferentes: não há ninguém no hospital a contar a história pois ele não ficou com a rapariga; o pai não o abandonou, logo, não conheceu a senhora que tomou conta dele; nunca existiu a casa de idosos, portanto, não houve nenhuma referência a essas pessoas nem às respectivas histórias (como a dos homem que foi atingido por um raio sete vezes).

- ele teve um filho (com a rapariga pela qual perdeu o interesse) e mais tarde teve um neto com quem brincava pois já estava na sua fase de bebé.

são apenas alguns aspectos mas já dá para perceber como as histórias são opostas.


De S a 2 de Setembro de 2009 às 22:51
Pois, nos filme é tudo sempre mais fácil...
esses 3 aspectos fazem-me achar o filme mais romântico... (eu adorei o homem atingido pelos 7 raios)...
No filme teve uma filha, realmente há mesmo muitas diferenças...


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 10:23
uma das coisas que eu gostei no filme (se não mesmo a única gostei que gostei) foi a história do homem que foi atingido por um raio sete vezes... achei-lhe uma piada!!! :)
o filme é mais romântico, sim! o livro é mais directo, mais simples e... mais frio! não há espaço para histórias de amor nem sentimentos desse tipo; mesmo a relação dele com o filho não é de grande sentimentalismo e depois, com o neto, é uma relação mais de "amizade"... o neto nasce quando ele está a ficar bebé, portanto, é como ver duas crianças juntas no infantário.
mesmo assim gostei mais do livro ;)
sabes, acho que se tivesse feito as coisas ao contrário (ver o filme e depois ler o livro) iria detestar o livro e adorar o filme pois, à semelhança do que aconteceu, pegaria no livro a pensar numa história e sairia-me o contrário.
talvez um dia, daqui por muuuutio tempo, eu me distancie da história do livro e veja o filme com um espírito mais aberto... pode ser que, então, goste do filme ;)


De S a 3 de Setembro de 2009 às 12:16
Eu adorei a história do homem dos 7 raios, chegou a dar todos? cé que eu só contei na altura 6.
então não vou mesmo gostar do livro, adoro livros românticos...
Espero be que faças isso, para depois dizeres, afinal tinhas razão samanta, o filme é mesmo giro =P


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 13:20
se queres que te diga, nem sei se deu todos! na altura não estava à espera que o homem andasse a contar as histórias, por isso não sei quantas vezes falou nisso ;)
acho que, mesmo assim, vou adormecer a metade! aquela parte em que ele está no barco é tão aborrecida!!! isso também não consta no livro.


De S a 3 de Setembro de 2009 às 13:46
Eu por acaso contei, mas só contei 6.
eu não a achei aborrecida, achei apenas uma parte essencial ao seu desenvolvimento como homem...


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 14:10
eu fiz um post sobre o filme, não sei se viste, e falei no quanto achei o filme chato! aborreceu-me bastante, sinceramente.


De S a 3 de Setembro de 2009 às 14:33
não vi, mas vou já ver =)


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 21:10
não me batas, lol.


De S a 3 de Setembro de 2009 às 21:41
olha-me a diferença do teu e do meu:
http://clumsygirl.blogs.sapo.pt/22979.html


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 21:43
já vi e já comentei ;)


De S a 3 de Setembro de 2009 às 21:57
=) já vou ver


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 22:03
tenho de voltar lá para aprofundar o comentário :)


De S a 3 de Setembro de 2009 às 22:07
aprofundar porque?


De mafalda a 3 de Setembro de 2009 às 22:11
para dar a minha opinião mais concreta (embora já a tenha expressado um milhão de vezes) :)


De S a 3 de Setembro de 2009 às 22:56
já pensaste as voltas que demos a este assunto?
parece um debate =)


De mafalda a 4 de Setembro de 2009 às 10:54
eu até já me esqueci qual é o assunto deste post :)


Comentar post

mais sobre mim
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

ao rapaz com olhos cor de...

saudades

revolta.............

o amor

isto da angelina jolie...

repete lá isso, faxa vor!...

vamos ao circo...

não há quem (n)os entenda

hoje é assim....

e já passou um ano...

arquivos

Julho 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2015

Junho 2013

Maio 2013

Dezembro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

"se"

2009

21 gramas

3 doors down

30 rock

30 seconds to mars

a arte de comer oreo's

a família addams

a importância de ter um blog

a walk to remember

adam gontier

adam lambert

adele

aerosmith

akon

alesha dixon

alison moyet

amanhecer

apocalyptica

ascenção e queda

audioslave

avril lavigne

bandas sonoras

barack obama

bella morte

bella swan

beyoncé

birthday

bjork

bombons chineses

chris brown

coisa de miúdos

coldplay

crepúsculo

dancing the dream

de cor e salteado

de mim para vocês

desafios

dido

doce novembro

eclipse

edward cullen

entre a morte e a vida

evanescence

fábrica de histórias

filipa

fingertips

futebol

guano apes

guns n' roses

haja paciência

him

inxs

james morrison

jared leto

joana

katie melua

lamb

lidia

linkin park

livro do desassossego

lua nova

lua nova trailler

maria fátima soares

meu blog na revista brasileira de música

mian mian

michael jackson

muse

música para os meus ouvidos

natal

natalie imbruglia

ne-yo

nelly furtado

nós

o estranho caso de benjamin button

o principezinho

o que aqui revelo é para ficar entre nós

pablo neruda

paulo coelho

pearl jam

pedro khima

pérolas

pink

placebo

que surpresa tão linda

quem quer ser bilionário

rilke

rita redshoes

saint-exupéry

seal

simple plan

stephenie meyer

system of a down

teorias da conspiração

the rasmus

tokio hotel

último post

vikas swarup

whitney houston

within temptation

todas as tags

favoritos

Quero-te

Insónia

É À NOITE

Esfera

Palavras

ESSES TEUS CINCO SENTIDOS...

É

Porque não pára o tempo?

Confiança

Alma

links
visitas
free hit counter
blogs SAPO
subscrever feeds