Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Por muito que me custe admitir, por muito que eu diga "não", o dia chegou...

Nunca antes a palavra "fim" teve tanto significado.

Se o choque foi de estrondo, o que se seguiu não acalmou.

Não contive a respiração mas dentro do meu peito tudo parou... Não lembro de sentir o ar a entrar, não lembro de sentir o ar a sair; não lembro de sentir o coração a bater... Fiquei coloda a um lote de emoções que demoraram a passar e que sempre farão parte de mim.

Agora sei! Afinal não dramatizei!

Terá mesmo de ser assim?!

Sozinha não digo que estou mas à volta tudo parou, talvez por solidariedade com os meus sentimentos que voaram e voaram em direções opostas como se o mundo não passasse de um único segundo e eu... Fiquei a olhar para ti!

Comecei, inocente e sem más intenções; mas comecei e acabei naquele momento... Foi o princío do fim... Um fim que já estava predestinado mas que nunca antes acreditei tanto nele como acredito agora e aos poucos, tão aos poucos, eu sei, tenho a certeza, de que não houve um princípio.

E a palavra "fim" nunca teve tanto significado como tem... Nenhum dicionário poderá explicar o calor de cada letra, a dor (que afinal não é dor, é apenas espanto) de cada letra; o quanto me custou escrever cada letra!

Mas eu sabia... Mas saber nao é ter certeza é apenas ter noção... Mas sem acreditar! Agora acredito!

Acredito porque vi e vou continuar a ver sempre que tenha saudades tuas! Nada daquilo me transtorna, nada daquilo me afecta como afectou a desorientação pela qual passei em tempos que contei... Hora por hora, minuto por minuto. 

Nunca o fim fez tanto sentido como agora! E é estranho as lágrimas quererem saltar só agora; talvez só agora eu tenho dado a informação ao coração.

Já sinto o coração a bater e ele bate tanto que até assusta! Já ouço a música que vai tocando, longe mas tão perto, já tenho noção do aperto que se transformou a minha voz... Não falo!

Não me sai uma única palavra!

"Respira!", penso. "O pior já passou!", engano-me!

O pior acabou... De começar! Vou ficar a ordenar as ideias e a cismar no que não deveria pois já era mais do que previsto que nada do que pensei fosse dar certo.

Mas vou pensar de novo! Vou chorar de novo! Vou lamentar e amaldiçoar ser tão criança neste mundo de gente crescida!

Serei inocente?!

Não aprendi nada... Talvez não queira aprender porque isso seria admitir que falhei e eu... Eu não falho, eu não erro... Eu sou cega ao ponto de pensar que o meu caminho é o caminho certo. E o caminho de agora leva-me de volta aquele canto escuro, preto, frio, gelado, onde arranho a parede na esperança de encontrar uma porta.

É o fim... E tudo parou por segundos eternos que apagaram as recordações que tão cuidadosamente guardei no teu cantinho no meu coração.

Nunca antes a palavra "desolação" teve tanto significado...



publicado por mafalda às 22:20 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

ao rapaz com olhos cor de...

saudades

revolta.............

o amor

isto da angelina jolie...

repete lá isso, faxa vor!...

vamos ao circo...

não há quem (n)os entenda

hoje é assim....

e já passou um ano...

arquivos

Julho 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2015

Junho 2013

Maio 2013

Dezembro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

"se"

2009

21 gramas

3 doors down

30 rock

30 seconds to mars

a arte de comer oreo's

a família addams

a importância de ter um blog

a walk to remember

adam gontier

adam lambert

adele

aerosmith

akon

alesha dixon

alison moyet

amanhecer

apocalyptica

ascenção e queda

audioslave

avril lavigne

bandas sonoras

barack obama

bella morte

bella swan

beyoncé

birthday

bjork

bombons chineses

chris brown

coisa de miúdos

coldplay

crepúsculo

dancing the dream

de cor e salteado

de mim para vocês

desafios

dido

doce novembro

eclipse

edward cullen

entre a morte e a vida

evanescence

fábrica de histórias

filipa

fingertips

futebol

guano apes

guns n' roses

haja paciência

him

inxs

james morrison

jared leto

joana

katie melua

lamb

lidia

linkin park

livro do desassossego

lua nova

lua nova trailler

maria fátima soares

meu blog na revista brasileira de música

mian mian

michael jackson

muse

música para os meus ouvidos

natal

natalie imbruglia

ne-yo

nelly furtado

nós

o estranho caso de benjamin button

o principezinho

o que aqui revelo é para ficar entre nós

pablo neruda

paulo coelho

pearl jam

pedro khima

pérolas

pink

placebo

que surpresa tão linda

quem quer ser bilionário

rilke

rita redshoes

saint-exupéry

seal

simple plan

stephenie meyer

system of a down

teorias da conspiração

the rasmus

tokio hotel

último post

vikas swarup

whitney houston

within temptation

todas as tags

favoritos

Quero-te

Insónia

É À NOITE

Esfera

Palavras

ESSES TEUS CINCO SENTIDOS...

É

Porque não pára o tempo?

Confiança

Alma

links
blogs SAPO
subscrever feeds