Sexta-feira, 28 de Novembro de 2008

 

O CAMINHO... ENTRE A ALMA E O CORAÇÃO

 

Caminhava sozinha pela estrada fora com o pensamento a mil à hora...

- Porquê?

Ninguém para responder...

O vento agitava as árvores e apenas isso quebrava o silêncio entre Ela e o mundo à sua volta... O coração pedia-lhe para seguir em frente.

Passo após passo, sem olhar para trás, Ela caminhava mergulhada nos pensamentos terríveis e nas imagens que pensava encontrar quando chegasse ao seu destino.

- E depois? O que acontecerá depois?

Mais uma vez, ninguém respondeu.

Passou um carro fazendo com que as folhas que repousavam no chão se levantassem e desfilassem diante dos seus olhos... Por momentos sentiu-se parte do mundo e, por escassos segundos, parou...

Mas o coração, dono da vontade, ordenou:

- Em frente!

E Ela obedeceu.

Pé ante pé, sem olhar para os lados, o destino seria apenas um...

Os raios de sol furavam os densos ramos das árvores, gritando:

- É dia!

Ela não queria saber se o dia apenas começava ou se a noite já dava sinais; para Ela era o fim!

Cada vez mais próxima do local onde era esperada, o coração batia mais e mais num misto de desespero e adrenalina. O sofrimento roubou-lhe uma lágrima mas eis que está diante do portão...

Ao longe via as pessoas que se passeavam pelos belos jardins e logo ali Ela soube que estava a fazer aquilo que estava certo, mesmo que mais tarde naquela noite chorasse, mesmo que o vazio do seu peito aumentasse num infinito de dores insuportáveis.

Agora, dentro do recinto, as pessoas estavam cada vez mais próximas e todas elas se estendiam em cumprimentos; um "olá" aqui, um "como estás" acolá, tendo todos como resposta o seu bonito mas falso sorriso.

O relógio marcava a hora certa...

Ela ajeitou o seu vestido e verificou se os sapatos estavam tão limpos como quando os comprara no dia anterior; esqueceu o passeio que deu minutos antes, esqueceu as conclusões a que chegara... 

Os sinos tocavam, a música do piano não parava... Em frente ao altar Ela esperava de pé.

Ao fundo do longo corredor decorado a rosas, uma figura vestida de branco apareceu e, todos aqueles que estavam sentados, levantaram-se como que por ordem de uma força superior.

Pé ante pé, aquela figura de branco dirigia-se ao altar com um sorriso brilhante iluminando tudo por onde passava.

Ela deixou escapar uma lágrima...

- Foi de felicidade - mentiria mais tarde.

Tal como o tempo, que nunca pára, a figura de branco precipitava-se para o seu destino com o vestido a varrer o chão e o véu a dançar com o vento.

A figura de branco estava a escassos metros do altar e, pela primeira vez naquele dia, Ela teve coragem para olhar o homem que estava à distância de centímetros e que, tal como todos os restantes, não tirava os olhos da figura de branco.

Todos no seu lugar...

A música parou...

E da primeira fila Ela assistiu ao casamento do seu grande amor... Com a sua melhor amiga.

 

nota: texto de ficção criado por mim para a "Fábrica de Histórias"

 



publicado por mafalda às 13:56 | link do post | comentar

10 comentários:
De Bichana a 28 de Novembro de 2008 às 16:01
Gostei muito da tua história, com drama à mistura. Até me fez lembrar aquela música dos Trio Odemira "A igreja estava toda ilumiada, muita gente convidada, eu também fui para ver..."
Bjnhos linda, bom fds!


De mafalda a 30 de Novembro de 2008 às 14:20
"o anel de noivado"? espero que isso seja um elogio! ;)
beijinhos.


De Marta a 28 de Novembro de 2008 às 16:42
Gostei bastante
Beijinhos e Bom fim de semana


De mafalda a 30 de Novembro de 2008 às 14:20
obrigada.
beijocas.
bom feriado.


De Sorriso ツ a 28 de Novembro de 2008 às 16:57
Eu adoro histórias assim, onde nem sempre têm um final feliz! Esta está muito boa, com drama e emoção. Muito bom, mas vindo de ti, já era de esperar! :)

Beijinhos e bom fim-de-semana :)


De mafalda a 30 de Novembro de 2008 às 14:23
não digas essas coisas! olha que eu começo a acreditar! ;)
obrigada, és uma querida!
eu também aprecio bastante as histórias que não tem final feliz... nem sempre a vida corre como nós queremos e, para nós termos o nosso final feliz, alguém fica com o infeliz (como a amiga e a personagem da história).
beijocas.


De Closet a 1 de Dezembro de 2008 às 15:23
Pois que eu também adorei o teu texto... escreves muitissimo bem, e não é só para retribuir, que nunca faço isso! Nunca passei por tal situação, mas no final, quando percebi que a personagem principal não era a noiva, lembrei-me dos sentimentos que tive no casamento da minha irmã, as lágrimas que chorei e que não foram de felicidade. Ela tem mais 9 anos que eu e costumou-me horrores separar-me dela, para além de não me dar bem com o meu cunhado na altura, tínhamos muitos ciúmes um do outro. É um tipo de amor diferente, mas não deixou de ser uma "perda" que me marcou. Adorei o "enredo". Bjs


De mafalda a 2 de Dezembro de 2008 às 13:15
olá.
obrigada pelo visita e pelo elogio deixado no comentário.
eu também não passei pela situação que descrevi no texto mas, tal como tu, também não me caiu bem o casamento da minha irmã mais velha... não era por não me dar com o meu cunhado ou pelo receio de me separar dela, mas sim por ter a certeza de que não era o melhor para ela; foi tudo muito precipitado.
o que lá vai, lá vai, não é?
é um tipo de amor diferente, sim... mas não deixa de ser amor!
beijocas.


De Lazy Cat a 2 de Dezembro de 2008 às 18:04
Gostei!


De mafalda a 2 de Dezembro de 2008 às 20:43
obrigada!


Comentar post

mais sobre mim
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

ao rapaz com olhos cor de...

saudades

revolta.............

o amor

isto da angelina jolie...

repete lá isso, faxa vor!...

vamos ao circo...

não há quem (n)os entenda

hoje é assim....

e já passou um ano...

arquivos

Julho 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2015

Junho 2013

Maio 2013

Dezembro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

"se"

2009

21 gramas

3 doors down

30 rock

30 seconds to mars

a arte de comer oreo's

a família addams

a importância de ter um blog

a walk to remember

adam gontier

adam lambert

adele

aerosmith

akon

alesha dixon

alison moyet

amanhecer

apocalyptica

ascenção e queda

audioslave

avril lavigne

bandas sonoras

barack obama

bella morte

bella swan

beyoncé

birthday

bjork

bombons chineses

chris brown

coisa de miúdos

coldplay

crepúsculo

dancing the dream

de cor e salteado

de mim para vocês

desafios

dido

doce novembro

eclipse

edward cullen

entre a morte e a vida

evanescence

fábrica de histórias

filipa

fingertips

futebol

guano apes

guns n' roses

haja paciência

him

inxs

james morrison

jared leto

joana

katie melua

lamb

lidia

linkin park

livro do desassossego

lua nova

lua nova trailler

maria fátima soares

meu blog na revista brasileira de música

mian mian

michael jackson

muse

música para os meus ouvidos

natal

natalie imbruglia

ne-yo

nelly furtado

nós

o estranho caso de benjamin button

o principezinho

o que aqui revelo é para ficar entre nós

pablo neruda

paulo coelho

pearl jam

pedro khima

pérolas

pink

placebo

que surpresa tão linda

quem quer ser bilionário

rilke

rita redshoes

saint-exupéry

seal

simple plan

stephenie meyer

system of a down

teorias da conspiração

the rasmus

tokio hotel

último post

vikas swarup

whitney houston

within temptation

todas as tags

favoritos

Quero-te

Insónia

É À NOITE

Esfera

Palavras

ESSES TEUS CINCO SENTIDOS...

É

Porque não pára o tempo?

Confiança

Alma

links
blogs SAPO
subscrever feeds