Quinta-feira, 08.10.09

All these accidents
That happen
Follow the dot
Coincidence
Makes sense
Only with you
You don't have to speak
I feel

 

Os três meses de "idade igual" acabaram e hoje tornas-te (ou tornaste-te) mais velho do que eu.

Não pude cozinhar para ti, não pude organizar qualquer festejo, não te cantei os parabéns (ninguém cantou), não te escrevi um cartão, não passei o dia contigo, não... Muitas coisas!

Mas o amor continua igual... Maior, certamente.

 

All that no one sees
You see
What's inside of me
Every nerve that hurts
You heal
Deep inside of me, oo-oohh
You don't have to speak
I feel

 

 

Estás a ficar crescido e é bom ver que, afinal, não passas daquele puto travesso e adorável que faz (bem feito) tudo o que lhe passa pela cabeça, que não perde o brilho no olhar, que... Me deslumbra!

 

Emotional landscapes
They puzzle me
Then the riddle gets solved
And you push me up to this
State of emergency
How beautiful to be
State of emergency
Is where I want to be

 

Não querendo parecer presunçosa, desejo contar estes dias por muitos e muitos anos e que tu estejas a contá-los comigo... Lado a lado... Ou frente a frente :)

 

Jóga - Bjork

 

All these accidents,
That happen,
Follow the dot,
Coincidence,
Makes sense,
Only with you,
You don't have to speak,
I feel.

Emotional landscapes,
They puzzle me,
Then the riddle gets solved,
And you push me up to this

State of emergency,
How beautiful to be,
State of emergency,
Is where I want to be.

All that no-one sees,
You see,
What's inside of me,
Every nerve that hurts,
You heal,
Deep inside of me, oo-oohh,
You don't have to speak,
I feel.

Emotional landscapes,
They puzzle me - confuse,
Then the riddle gets solved,
And you push me up to this

State of emergency,
How beautiful to be,
State of emergency,
Is where I want to be.

State of emergency,
How beautiful to be,

Emotional landscapes,
They puzzle me,
Then the riddle gets solved,
And you push me up to this

State of emergency,
How beautiful to be,
State of emergency,
Is where I want to be.

State of emergency,
How beautiful to be,
State of emergency,
State of, state of,
How beautiful,
Emergency,
Is where I want to be.

State of emergency,
How beautiful to be,
State of emergency,
Is where I want to be.

State of emergency,
How beautiful to be.
State of emergency,
Is where I want to be.


música jóga - bjork

publicado por mafalda às 21:52 | link do post | comentar | ver comentários (59)

Quinta-feira, 08.01.09

(imagem retirada da internet)
 
Caída Do Céu...
 

Eu estava na estação de comboios alheia ao que passa à minha volta. A confusão era tanta que eu mal percebia os meus pensamentos... 

Tinha de sair daquela cidade!
Sofrer por alguém é pior do que sofrer por nós!
Eu amava-o! Ele nunca chegou a amar-me!
Durante anos (sim, anos!) submeti-me a uma condenação de tortura constante... Aquela tortura interior que nos leva a olharmos para nós e gritar:
- Não és digna do espaço que ocupas no mundo! És ridícula!
Chegou o dia de parar com o tormento!
E na estação de comboios eu estava...
 
Ao olhar para os meus alunos só conseguia pensar na minha filha de seis anos que estava algures numa estação de comboios a quilómetros de distância.
A minha cunhada (irmã da minha falecida mulher) estava encarregue de trazer a miúda até cá mas, à última da hora (já eu estava dentro desta sala sem hipótese de escapar), ela telefona-me a dizer que lhe aconteceu um contratempo qualquer que nem ela soube explicar e que não podia acompanhar a pequena na viagem.
- O quê?! - gritei eu.
- Não te preocupes, tenho a certeza de que ela fica bem! Só tens de estar na estação à hora prevista para apanhá-la!
- Apanhá-la?! - voltei a gritar.
Mas ela já tinha desligado!
Que raio de pessoa deixa uma criança de seis anos viajar sozinha de comboio?
Tentei telefonar-lhe de volta, sem sucesso; tentei descobrir o número da estação de comboios onde ela se encontrava mas conseguir que alguém atendesse foi tarefa impossível.
E a olhar para os meus alunos eu estava...
 
Espreitei o relógio... O tempo parecia não passar! Faltavam quarenta minutos para o comboio partir!
O ponteiro dos segundos parecia pesado e arrastava-se... Lento!
Olhei as pessoas... Alguns casais aqui, outros casais acolá; um ou outro turista que passava com a máquina fotográfica em punho; pais que se despediam de filhos; famílias completas com uma certa excitação por estarem prestes a fazer, deduzi eu, a primeira viagem de comboio; uma miúda...
Uma miúda? Bem, com certeza andaria por ali perto alguém da sua família mas, pelo sim, pelo não, decidi ficar de olho na criança. Em bicos de pés espreitei mais longe! Ninguém parecia importar-se com aquela bonequinha! Decidi aproximar-me!
Dos seus enormes olhos azuis saia o espanto com que ela olhava enfeitiçada para o enorme comboio que estava à sua frente!
- Olá!
Silêncio!
- Gostas de comboios?
Silêncio!
- A tua mamã?
Os olhos azuis pousaram em mim... 
- A tua mamã? Sabes dela?
- Morreu! 
"Morreu" não é aquilo que se quer ouvir de uma criança, principalmente quando se pergunta pela mãe.
- Estás perdida?
- Tenho de entrar no comboio! A minha tia disse-me que era este mas ele está parado há tanto tempo!
- Isso às vezes acontece! A tua tia onde está?
- Ela teve de ir embora!
- Está cá mais alguém contigo?
- Não! O meu papá está onde o comboio vai parar.
- Posso ver o teu bilhete?
A mãozinha saiu de bolso e consigo trazia o bilhete.
- Sabes o que é muito bom? Eu também vou para o mesmo sítio! Podemos conversar durante a viagem, podemos fazer jogos...
- Podemos contar adivinhas? - perguntou-me com um enorme sorriso.
- Claro que sim! Mas tens a certeza que não está cá ninguém à tua procura?
- A minha tia foi embora.
- Chamo-me Cláudia e tu?
- Estrela!
 
Tic-tac...
Como estaria a Estrelinha?
Os meus alunos olhavam para mim como se esperassem alguma coisa mas eu não tinha cabeça para aquilo...
Queria abraçar com a minha estrelinha!
Como estaria ela? Assustada, com certeza!
 
A viagem não poderia ter corrido melhor!
Conversamos, contamos adivinhas, inventámos jogos até que ela adormeceu no meu colo.
A Estrela tinha apenas seis anos mas tinha uma inteligência muito desenvolvida!
Estávamos quase a chegar ao destino quando eu tive de a acordar do seu sono e vê-la abrir os enormes olhos azuis foi um momento mágico.
 
Finalmente!
O comboio chegou!
Onde está a minha Estrela? Já sairam tantas pessoas! Será que ela não entrou no comboio? Não, a irresponsável da minha cunhada disse que ficava lá até ela entrar!
 
- Vamos esperar que estas pessoas saem e depois saimos nós. Está bem? Vais ter de olhar bem para encontrares o teu papá!
 
O comboio está quase vazio e nem sinal da minha menina!
É ela? Sim, já estou a vê-la! Que alívio!
Quem é aquela que vem de mão dada com a minha estrelinha? 
- Papá!!! - ela gritou e eu corri para ela.
 
- Papá!!! - ela gritou ao mesmo tempo que largou a minha mão e desatou a correr.
- Você deve ser o Carlos! Eu sou a Cláudia! Conheci a sua filha antes de entrar no comboio e decidimos fazer companhia uma à outra.
- Não sabe como lhe estou agradecido! A desgraçada da tia ficou em acompanhá-la mas teve de ir fazer sei lá o quê... Nem sei como agradecer!
- Eu sei! A Estrela contou-me onde fica a vossa casa e eu vou para lá perto... Será que me pode dar boleia?
- Claro!
 
Há muito tempo que não via a Estrela tão contente como naquela tarde... Alegre, distraída e muito faladora.
Conhecer a Cláudia foi um bom presságio! Ela vai ficar perto de nossa casa e a Estrela poderá vê-la sempre que quiser.
Finalmente a Estrela tem uma presença feminina na sua vida, a mãe morreu quando ela ainda mal dava os primeiros passos e a tresloucada da tia não é boa influência!
Talvez para mim também seja bom... 
Talvez convide a Cláudia para um café.
 
A viagem de carro foi tão boa como a de comboio. Conhecer a Estrela e o seu pai foi um bom presságio para o começo da minha nova vida!

 

Poderei ver a Estrelinha sempre que quiser; as nossas casas ficam próximas... E, cá entre nós, se o Carlos me convidar para um café, sou capaz de aceitar! 
 
nota: texto de ficção criado por mim para a "Fábrica de Histórias"

 

 

Jóga - Bjork

All these accidents that happen
Follow the dot
Coincidence makes sense
Only with you
You don't have to speak - i feel

Emotional landscapes
They puzzle me
Then the riddle gets solved
And you push me up to this

State of emergency

How beautiful to be
State of emergency

Is where i want to be

All that no-one sees
You see
What's inside of me
Every nerve that hurts you heal
Deep inside of me
You don't have to speak - i feel

Emotional landscapes
They puzzle me, confuse
Then the riddle gets solved
And you push me up to this

State of emergency

How beautiful to be
State of emergency

Is where i want to be

State of emergency
How beautiful to be

Emotional landscapes
They puzzle me
Then the riddle gets solved
And you push me up to this

State of emergency
How beautiful to be
State of emergency
Is where I want to be

 


música jóga - bjork

publicado por mafalda às 21:46 | link do post | comentar | ver comentários (16)

mais sobre mim
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

parabéns a ti

caída do céu... ("Fábrica...

arquivos

Julho 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2015

Junho 2013

Maio 2013

Dezembro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

"se"

2009

21 gramas

3 doors down

30 rock

30 seconds to mars

a arte de comer oreo's

a família addams

a importância de ter um blog

a walk to remember

adam gontier

adam lambert

adele

aerosmith

akon

alesha dixon

alison moyet

amanhecer

apocalyptica

ascenção e queda

audioslave

avril lavigne

bandas sonoras

barack obama

bella morte

bella swan

beyoncé

birthday

bjork

bombons chineses

chris brown

coisa de miúdos

coldplay

crepúsculo

dancing the dream

de cor e salteado

de mim para vocês

desafios

dido

doce novembro

eclipse

edward cullen

entre a morte e a vida

evanescence

fábrica de histórias

filipa

fingertips

futebol

guano apes

guns n' roses

haja paciência

him

inxs

james morrison

jared leto

joana

katie melua

lamb

lidia

linkin park

livro do desassossego

lua nova

lua nova trailler

maria fátima soares

meu blog na revista brasileira de música

mian mian

michael jackson

muse

música para os meus ouvidos

natal

natalie imbruglia

ne-yo

nelly furtado

nós

o estranho caso de benjamin button

o principezinho

o que aqui revelo é para ficar entre nós

pablo neruda

paulo coelho

pearl jam

pedro khima

pérolas

pink

placebo

que surpresa tão linda

quem quer ser bilionário

rilke

rita redshoes

saint-exupéry

seal

simple plan

stephenie meyer

system of a down

teorias da conspiração

the rasmus

tokio hotel

último post

vikas swarup

whitney houston

within temptation

todas as tags

favoritos

Quero-te

Insónia

É À NOITE

Esfera

Palavras

ESSES TEUS CINCO SENTIDOS...

É

Porque não pára o tempo?

Confiança

Alma

links
visitas
free hit counter
blogs SAPO
subscrever feeds