Quinta-feira, 28.01.10

Cada palavra tua rasga mais um pouco o meu coração e todo este silêncio teu faz-me mergulhar num desespero onde nem respirar eu sei.

Não sei viver contigo e não posso viver sem ti.

Tu sabes que me fazes sofrer, sabes que eu gosto de ti, mas pareces não te importares com o que te é exterior e deixas-me assim, sem saber para que lado me virar.

Não acredito que não tenha tocado no teu coração nem um bocadinho.

Não acredito que tenhas fingido…

Os toques, as palavras, os gestos.

Tenho saudades dos teus lábios, dos teus beijos, dos teus dedos perfeitos, da tua voz, do teu cheiro e, acima de tudo, do teu riso endiabrado.

Tenho saudades de quase adormecermos abraçados e, imagina, até saudades tenho das tretas que sempre contavas.

Mas tu és como a água que do rio corre para o mar, segues o teu caminho sem olhar para a destruição que deixas ficar.

E eu sou fraca!

Muito fraca!

Não sei como te largar.

 

Ela: Eu gosto tanto de ti!

Ele: Eu também gosto de ti! Tens medo que eu fuja? Eu não fujo... Muito pelo contrário!

 



publicado por mafalda às 22:18 | link do post | comentar | ver comentários (10)

Segunda-feira, 26.10.09

Ele: Quem é o B.?

Ela: Ah? Hum... Quem?

Ele: Que mal disfarçado!

Ela: Mmm, pois!

Ele: Quem é?

Ela: Quem?

Ele: O B.

Ela: É o jogador da bola.

Ele: Isso eu percebi.

Ela (a brincar): Isso de andar a ouvir o que eu digo à minha irmã há-de acabar.

Ele: Não estavas a falar baixo.

Ela: Pois não! Porque não tenho nada a esconder!

Ele: Então, quem é?

Ela: É o jogador da bola.

Ele: Eu conheço?

Ela: Não me parece!

Ele: Como o conheceste?

Ela: Sei lá! Já foi há uns anos! Foi numa das vezes que fui levar o Ruben (sobrinho "dela") aos treinos.

Ele: E depois?

Ela: E depois nada!

(silêncio)

(ela aproveita para brincar com a situação)

Ela: Sabes, devias vê-lo a jogar! É mesmo bom!

Ele: Portanto, viste muitos jogos!

Ela: Claro! Vi todos! E os treinos também! Ele joga a avançado! Há muito tempo que não o vejo nem me lembrava dele mas a mãe dele... Eu conheço a mãe dele. A mãe dele disse-me que ele vai jogar no Sporting, vai para a Academia de Alcochete um dia destes, e era isso que eu estava a dizer à minha irmã.

(silêncio)

Ela: É muito bonito! Tem a pele morena mas é um moreno brilhante, como se fosse bronzeado, e tem os olhos e o cabelo claros. E é tão doce a falar! É mesmo querido.

(silêncio)

Ela: Ele não se chama B., isso é "alcunha futebolística"; chama-se P.

Ele: Sabes muito, tu, sobre ele.

Ela: Hum, pois! Mas, como te disse, vi os jogos e os treinos e conheço a mãe dele, é normal que saiba "muito".

(silêncio)

Ela: Olha, só para encerrar o assunto, o B. tem 12 anos e joga no mesmo escalão do meu sobrinho.

 

O AMOR É LINDO! :)

 

A Baby Kate, que é uma querida, presentiou o meu/nosso Peter Pan com um miminho lindo que eu postei aqui mas falta responder a umas perguntinhas que vou responder aqui (sim, é mesmo aqui aqui) :) Cá vai:

 

PECADO CAPITAL: gula

MELHOR CHEIRO DO MUNDO: pingos de chuva na terra

SE O DINHEIRO NAO FOSSE PROBLEMA: ajudaria muitas pessoas

HISTÓRIA DE INFÂNCIA: canção dos bolinhos de côcô

HABILIDADE COMO DONA DE CASA: cozinhar

O QUE NÃO GOSTO DE FAZER EM CASA: limpar o pó

FRASE PREFERIDA: a vida são dois dias e o d eontem já passou

PASSEIO PARA O CORPO: nenhum lugar em especial

PASSEIO PARA A ALMA: praia, enterrar os pés na areia

O QUE ME IRRITA: tudo e nada, depende do dia

FRASES OU PALAVRAS QUE USO MUITO: não

PALAVRÃO MAIS USADO: o que começa pela letra "f"

VOU AOS ARAMES QUANDO: apanho chuva logo após ter lavado o cabelo

TALENTO OCULTO: romantismo agudo ;)

NÃO IMPORTA QUE SEJA MODA, EU NÃO USARIA NUNCA: roupa laranja

QUERIA TER NASCIDO A SABER: o que sei hoje

 

Como escrevi aqui, o miminho é para todos os blogs que constam no meu perfil.


tags: ,

publicado por mafalda às 21:24 | link do post | comentar | ver comentários (63)

Quarta-feira, 09.09.09

Ele: Pareces a Courtney Cox com esse cabelo!

Ela, com ironia: Isso é claramente um elogio, que eu agradeço, mas a Courtney Cox e eu somos mais parecidas nos olhos. É onde somos mais parecidas.

 

Eis Courtney Cox:

http://www.celebritynewsgossip.com/photos/images/courteney_cox/pictures/courtney-cox.jpg

 

Ela: O Sr. H. do supermercado dizia que eu era parecida com uma actriz brasileira.

Ele: Quem é ela?

Ela: Não faço ideia do nome da senhora mas ela anda naquela novela da sic.

Ele: Mostra-me!

 

Após uma pesquisa na internet, descubro que a senhora em questão é a Leticia Sabatella:

http://www.iaia.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/03/leticia-sabatella.jpg

 

Ele: Olha, não tem nada a ver!

Ela: Isso é um elogio?

Ele: É e não é.

Ela: É melhor começares a explicar!

Ele: Não é um elogio para ela mas é para ti é, pois eu acho-te mais bonita.

Ela, embasbacada: Ah! Pois! Está bem!

Ele sorri.

Ela: Não acho que sejas parecido com alguém.

Ele: Não?

Ela: Não! É como se estivesses ainda por inventar... Mas agora que penso nisto... És parecido com alguém, és! E eu sei bem quem...

Ele: Estou à espera!

Ela: Pareces-te com aquele tipo com quem eu costumo sonhar.



publicado por mafalda às 13:43 | link do post | comentar | ver comentários (67)

Segunda-feira, 07.09.09

You are the promised kiss of springtime
That makes the lonely winter seem long
You are the breathless hush of evening
That trembles on the brink of a lovely song

You are the angel glow that lights a star
The dearest things I know are what you are

 

All The Things You Are, Michael Jackson

 

Ela:

A janela deveria estar fechada.

Ele:

Vai buscar um cobertor.

Ela:

Se eu fosse buscar um cobertor, passava pela janela, fechava-a e já não seria preciso o cobertor.

Ele:

Então vai lá.

Ela:

Não.

Ele:

Então vou lá eu.

Ela:

NÃO!!!

Ele:

Por que será que eu não estou a perceber?

Ela:

É simples! Se um de nós for fazer qualquer uma dessas coisas, que será fechar a janela ou buscar um cobertor, este abraço desfaz-se... E eu não quero.

(silêncio)

Ele:

Depois "faz-se" outro abraço.

Ela:

Este está-me a saber bem.

 

Never Tear Us Apart - INXS

Don't ask me
What you know is true
Don't have to tell you
I love your precious heart

I
I was standing
You were there
Two worlds collided
And they could never tear us apart

We could live
For a thousand years
But if I hurt you
I'd make wine from your tears

I told you
That we could fly
'Cause we all have wings
But some of us don't know why

I
I was standing
You were there
Two worlds collided
And they could never tear us apart
 
I
I was standing
You were there
Two worlds collided
And they could never tear us apart

You
You were standing
I was there
Two worlds collided
And they could never tear us apart

I, I, I
I was standing...
you were there...


música never tear us apart - inxs

publicado por mafalda às 22:06 | link do post | comentar | ver comentários (69)

Quarta-feira, 02.09.09

*- Não devias mesmo fazer isso às pessoas - critiquei. - Não é muito justo.

- Fazer o quê?

- Deslumbrá-las dessa forma; neste preciso momento, ela deve estar na cozinha a respirar de forma ofegante.

Ele parecia confuso.

- Oh, vá lá - disse com hesitação. - Tu deves ter noção do efeito que exerces nas pessoas.

Inclinou a cabeça para um dos lados e os seus olhos expressaram curiosidade.

- Eu deslumbro as pessoas?

(...)

- E a ti, deslumbro-te?

- Frequentemente - confessei.

 

Há pessoas assim...

Não sabem, ou não conhecem, aquilo que são, ou aquilo que algumas pessoas julgam que são.

Gosto de me encostar a um canto e ver os seus gestos, os gestos daquela pessoa, ver as suas acções, os seus movimentos, a maneira como fala e o que o faz sorrir, a sua expressão e o que faz os seus olhos brilharem... Gosto de distanciar-me do mundo e focar-me nele, não quando apenas estou eu e ele (isso seria fazer batota) mas sim quando a sala está cheia, quando o barulho se faz ouvir, quando eu estou tão longe que ninguém dá por mim, quando o seu mundo não é o meu mundo.

É nesse momento que consigo perceber o mistério e, ao mesmo tempo, ficar mais intrigada: se por um lado sou atingida pelas certezas de estar perante uma pessoa única, por outro lado fico mais curiosa sobre as suas origens... Bem de certo, alguém assim não pode existir.

Deslumbrar é o termo correcto! Mas há mais: há um novo mundo que existe, que é real ao som das suas palavras; que é criado, que é gerado pelo brilho dos seus olhos; infindável, interminável na intenção dos seus gestos...

Gosto de me encostar a um canto e vê-lo, apenas... Vê-lo!

E tudo ganha um novo sentido!

 

*- Estás a fazê-lo novamente - disse por entre dentes.

Os olhos dele arregalaram-se de admiração.

- O quê?

- A deslumbrar-me - confessei, tentanto concentrar-me ao voltar a olhar para ele.

- Ah! - franziu o sobrolho.

- A culpa não é tua - afirmei, suspirando. - Não consegues evitar.

 

* Bella Swan, "Crepúsculo", Stephenie Meyer



publicado por mafalda às 09:37 | link do post | comentar | ver comentários (34)

Quinta-feira, 25.06.09

Depois de ouvir uma locutora de rádio dizer que a Miley Cyrus (também conhecida como Hannah Montana) é feia:

Ela: Realmente! A miúda não é assim tão bonita.

Ele: Comparada com quem?

Ela: Olha, com a Angelina Jolie, por exemplo.

Ele: Também foste logo escolher a Angelina Jolie! Já pensaste que, comparada com outras pessoas, a rapariga até é bonita?

Ela: Até que tens razão mas... O que é isso de "ah e tal, também foste logo escolher a Angelina Jolie"? Com que então, a dona Angelina é bonita!

Ele: Oh! É bonita, sim, mas isso é relativo! (silêncio) Até tu és feia.

Ela: Estás-me a comparar com a Angelina?

Ele: Não! Estou a comparar-te contigo.

Ela: Como é que é?

Ele: Deixa-me reformular; não és feia mas também não és bonita. Ou seja, se te comparar contigo, e é o que estou a fazer, és mais bonita do que ontem! És mais bonita a cada dia que passa, portanto, ontem não eras assim tão linda.

 

Ultimamente não sei muitas coisas!

Não sei explicar muito do que se passa dentro de mim...

Não sei organizar prioridades nem distinguir o que realmente importa...

Ultimamente tenho perdido muitas coisas!

Tenho desenvolvido sentimentos contraditórios...

Tenho confundido o passado com o presente...

Mas de uma coisa tenho a certeza:

É impossível não gostar de ti...

É impossível não me orgulhar de ti...

É improvável que te deixe ir.

 

Would I call your name
Through the ruins of emptied halls?
Could I see your face
Within passions yet unborn?
Speak fragile truths into the air
So new and cold
Could I lie to you?
Could I live this life alone?

Fade to the year's cascading dreams of hope and light
Through vacant thoughts the eve is found in stormy skies
To the years cascading dreams of hope and loss
Our painted world shall see an end to all we find

Would I take your hand
Would I lead you from the mist
In another place
Where the sun can never set?
Years carry us into the certainty of doubt
Could I lie to you?
Could I leave you here alone?

Soon enough the ice will break
Falling down lost in melting years
Soon enough the dawn awakens
Holding tight memories of our love
And our loss

"Doubt", Bella Morte


música boubt - bella morte

publicado por mafalda às 10:37 | link do post | comentar | ver comentários (14)

Segunda-feira, 22.06.09

Recentemente deu-me na cabeça em comprar um par de luvas para fazer limpeza. Sendo coisa que já não faço há muito tempo (utilizar luvas) fiquei indecisa sobre qual seria o meu tamanho, aliás, acho mesmo que "tamanhos" era coisa que não existia da última vez que usei uma coisa destas.

Na prateleira do supermercado deparei-me com vários tamanhos, cores e marcas e eu, sem perceber patavina, peguei num par "médio" e "cor-de-rosa".

- Tamanho médio - pensei eu - No meio é que está a virtude.

Mas aí é que me enganei!

O cor-de-rosa nem foi muito mal escolhido pois sempre suaviza a tarefa mas... Tamanho médio? Pois sim!

O "médio" para eles deve ser o "enorme" para mim! Precisava de ter mais dois ou três centímetros de dedo para que as luvas me servissem.

 

Fiquei na dúvida...

Serão as minhas mãos demasiado pequenas para o mundo caber nelas?

 

Então depois é que percebi...

Qual é o interesse de ter o mundo nas mãos? O que importa é saber segurar no teu coração e esse, não te preocupes, mesmo que as mãos sejam tamanho pequeno, está bem seguro.

 

A Gaivota - Amália Hoje

Se uma gaivota viesse
Trazer-me o céu de lisboa
Num desenho que fizesse

Nesse céu onde o olhar
É uma asa que não voa
Esmorece e cai no mar

Que perfeito coração
No meu peito bateria
Meu amor na tua mão
Nessa mão onde cabia
Perfeito meu coração

Se um português marinheiro
Dos sete mares andarilho
Fosse quem sabe o primeiro

A contar-me o que inventasse
Se um olhar de novo brilho
No meu olhar se enlaçasse

Que perfeito coração
Morreria no meu peito
Meu amor na tua mão
Nessa mão onde perfeito
Bateu meu coração

Que perfeito coração
No meu peito bateria
Meu amor na tua mão
Nessa mão onde cabia
Perfeito meu coração

Que perfeito coração
No meu peito bateria
Meu amor na tua mão
Nessa mão onde cabia
Perfeito meu coração

Perfeito meu coração
Perfeito meu coração


música a gaivota - amália hoje

publicado por mafalda às 11:05 | link do post | comentar | ver comentários (30)

Quarta-feira, 17.06.09

É estranha a maneira como provocas em mim um vazio que só o teu retorno preenche.

É inquietante sentir saudades quando ainda te tenho por perto e ao alcance.

Queria ter o poder de congelar momentos e sempre que caminhasses para a porta o relógio parava por minha vontade e ficavas como que suspenso e eu corria até ti e abraçava-te até me doerem os braços.

 

É estranha a maneira como tenho vontade de sorrir e de chorar no mesmo momento.

É inquietante a tranquilidade com que acordo mesmo depois de ter flutuado por pesadelos.

Queria ter o poder de transformar os dias em anoitecer; nem noite, nem dia, apenas o anoitecer, e assim nunca terias de olhar para o relógio e nunca seria hora de ires embora e não haveriam despedidas e eu ficava abraçada a ti até me doerem os braços.

 

Ele: Viste o filme "Cocoon"?

Ela: "Os corais perdidos"? Claro!

Ele: Os dois?

Ela: Sim. Até devo ter, algures por casa, as cassetes de vhs.

Ele: Sabes qual é a minha parte preferida?

Ela: Qual?

Ele: Aquela em que a e.t. mostra o futuro aquele tipo que gostava dela.

Ela, com entusiasmo: Ah!  Eu tenho...

Ele: Caladinha! Já sei o que vais dizer mas deixa-me acabar, depois falas tu.

(silêncio)

Ele: Como eu estava a dizer, nessa cena ele é transportado para o futuro e caminha por uma rua até ver ele próprio à porta de uma casa com uns miúdos.

Ela: Entretanto aparece a mulher mas ela está com um chápeu e não dá para ver a cara. A única coisa que se vê é...

Os dois: Um sinal.

Ela: No pescoço.

Ele: Depois, numa das últimas cenas, quando os e.t.'s partem para o planeta de origem, esse tipo encontra-se por acaso com a médica que ajudou o e.t. que tinha sido capturado.

Ela: E sem querer olha para o pescoço dela e vê o tal sinal. Eu tenho...

Ele: Eu sei que tens! Deixa-me acabar! Essa é  minha parte preferida e até queria assim uma coisa para mim... Um momento desses.

Ela, sorrindo: Como é que é?!

Ele: Não gozes! Eu tinha uns 10 anos, ou nem isso, quando vi o filme e achei giro ela ter o sinal no pescoço e ele saber que ela era a mulher da vida dele através desse sinal.

Ela: Eu tenho... (silêncio) Já posso dizer o que tenho? Eu tenho um sinal parecido.

Ele: Para que conste, só reparei nisso passado algum tempo.

Ela: Ah, bom! Já ia dizer uma coisa do tipo: "grande imbecil, gostas é do meu sinal".

Ele: É uma daquelas coincidências espectaculares! Se houvessem dúvidas, desapareceriam assim de repente.

(silêncio)

Ele: Mas nunca houve... Dúvida!

 

Evensong - Bella Morte

Forever, let the nights burn long for our loss
As all words shall die in good time
Fleeting shades of pain catch my eye

And the mist of days long gone by
Captures tears and smiles as we die
And I hear your laughter from far away
In the fondest place in my mind

Together, let the nights burn long with our doubt
When we spoke of days still to come
They were bright as mid-summers sun

And my life is grey without you
And the nights won't shine without you
And my heart grows cold without you
Yet the seasons change without you


música evensong - bella morte

publicado por mafalda às 14:09 | link do post | comentar | ver comentários (36)

Terça-feira, 09.06.09

O medo é o pior obstáculo que pode existir. Mesmo para quelas pessoas, como eu, que dizem nunca sentir medo mas sim apenas um certo receio, o medo está sempre presente.

Talvez ao dizer que não sinto medo, tenha medo de admitir que, afinal, sinto-o!

Hoje sei que o medo é um sentimento que anda de mãos dadas com todos os outros sentimentos.

Não amor sem medo.

Não há alegria sem medo.

Não há dor sem medo.

Não há tristeza sem medo.

Medo é uma palavra que de si já causa... Medo.

Mas qual será o pior medo?

Se eu fizesse uma lista (tipo "ranking") dos medos, em primeiro lugar colocaria o medo de não conseguir ultrapassar.

Quando não se ultrapassa, nem se tenta ultrapassar, um obstáculo, um amor acabado, uma perda, etc., a nossa vida fica como que estagnada e nada, mas mesmo nada, consegue  suportar a estagnação.

O medo de não conseguir ultrapassar e o medo de arriscar são irmãos e, arrisco-me a dar o palpite, gémeos. Onde anda um, anda o outro.

É preciso arriscar para ultrapassar. É preciso saber procurar e, acima de tudo, é necessário ver (só "olhar" não serve).

 

Todo este palavreado para quê? Principalmente, para eu não me esquecer que ultrapassei ao arriscar.

 

E por trás da porta número dois está...?

Está todo um mundo.

 

Antes da musiquinha habitual, quero apenas desejar-vos bons feriados e boa festa (para quem festeja o St.º António). Já eu, nestes dois dias, vou "afundar-me" na blogosfera numa tentativa de visitar-vos a todos e ler com atenção os posts que ainda não tive oportunidade de ler.

Por falar em ler, e já que aqui estou, que livro(s) recomendam? Estou farta de virar as estantes ao contrário e não encontro nada que me chame a atenção.

 

Metalingus - Alter Bridge

I've been defeated and brought down
Dropped to my knees when hope ran out
The time has come to change my ways

On this day
I see clearly
Everything has come to life
A bitter place and a broken dream
And we'll leave it all
Leave it all behind

I'll never long for what might have been
Regret won't waste my life again
I won't look back I'll fight to remain

On this day
I see clearly
Everything has come to life
A bitter place and a broken dream
And we'll leave it all behind

On this day
It's so real to me
Everything has come to life
Another chance to chase a dream
Another chance to feel
Chance to feel alive

Fear will kill me
All I could be
Lift these sorrows
Let me breathe
Could you set me free?
Could you set me free?

On this day
I see clearly
Everything has come to life
A bitter place and a broken dream
And we'll leave it all behind

On this day
It's so real to me
Everything has come to life
Another chance to chase a dream
Another chance to feel
Chance to feel alive

 


música metalingus - alter bridge

publicado por mafalda às 14:20 | link do post | comentar | ver comentários (24)

Quarta-feira, 03.06.09

De onde vem a palavra saudade?

Será que é mais um daqueles sentimentos que não dão para explicar e a simples palavra "saudade" só por si já explica muita coisa?

Parece-me pouco!

 

... tenho saudade ...

 

Parece-me tão pouco!

 

... saudade ...

 

Dizer "saudade" soa-me estranho!

Tantas vezes a digo que já nem lhe conheço a pronúncia! É como se tivesse inventado um novo idioma e "saudade" fosse a única palavra.

 

... sinto saudade ...

 

Se eu disser que tenho saudades tuas, tu irás compreender?

Saberás medir cada uma das letras que constituem a palavra?

É que eu não sei mais o que (ou como) dizer!

Só sei que dói...

 

... tenho saudade...

... saudade ...

... sinto saudade...

 

Mas eu espero!

Deixo-me viajar por mundos de recordações e acordo mais perto de ti, mais perto da hora de te ver.

E espero!

 

I Can Wait Forever - Simple Plan

You look so beautiful today
When you're sitting there
It's hard for me to look away
So I try to find the words that I could say
I know distance doesn't matter
But you feel so far away

And I can't lie
But every time I leave
My heart turns grey
And I wanna come back home
To see your face tonight
'Cause I just can't take it

Another day without you with me
Is like a blade that cuts right through me
But I can wait, I can wait forever
When you call, my heart stops beating
When you're gone, it won't stop bleeding
But I can wait, I can wait forever

You look so beautiful today
It's like every time I turn around, I see your face
The thing I miss the most is waking up next you
When I look into your eyes, man, I wish that I could stay

And I can't lie
But every time I leave
My heart turns grey
And I wanna come back home
To see your face tonight
'Cause I just can't take it

Another day without you with me
Is like a blade that cuts right through me
But I can wait, I can wait forever
When you call, my heart stops beating
When you're gone, it won't stop bleeding
But I can wait, I can wait forever

I know it feels like forever
(Feels like forever)
I guess that's just the price I gotta pay
But when I come back home
To feel your touch
It makes it better
(Makes it better)
Till that day
There's nothing else that I can do
And I just can't take it
(I just can't take it)

Another day without you with me
Is like a blade that cuts right through me
But I can wait
(I can wait)
I can wait forever
(I can wait forever)
When you call, my heart stops beating
When you're gone, it won't stop bleeding
But I can wait
(I can wait)
I can wait
(I can wait)
I can wait forever
(Wait forever)
I can wait forever
I can wait forever
(I can wait for the day, 'cause you're gonna come back to me now)
I can wait forever
I can wait forever
I can wait forever

 

"QUANDO NOS DEIXAMOS PRENDER A ALGUÉM, ARRISCAMO-NOS A CHORAR DE VEZ EM QUANDO"

 

"O Principezinho", Antoine de Saint-Exupéry


música i can wait forever - simple plan

publicado por mafalda às 14:22 | link do post | comentar | ver comentários (24)

mais sobre mim
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

promessas

para a próxima não faças ...

aquele tipo com quem eu c...

i love your precious hear...

deslumbras-me!

doubt

do tamanho das minhas mão...

sinal

medo

do latim "solilate"

arquivos

Julho 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2015

Junho 2013

Maio 2013

Dezembro 2011

Novembro 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

"se"

2009

21 gramas

3 doors down

30 rock

30 seconds to mars

a arte de comer oreo's

a família addams

a importância de ter um blog

a walk to remember

adam gontier

adam lambert

adele

aerosmith

akon

alesha dixon

alison moyet

amanhecer

apocalyptica

ascenção e queda

audioslave

avril lavigne

bandas sonoras

barack obama

bella morte

bella swan

beyoncé

birthday

bjork

bombons chineses

chris brown

coisa de miúdos

coldplay

crepúsculo

dancing the dream

de cor e salteado

de mim para vocês

desafios

dido

doce novembro

eclipse

edward cullen

entre a morte e a vida

evanescence

fábrica de histórias

filipa

fingertips

futebol

guano apes

guns n' roses

haja paciência

him

inxs

james morrison

jared leto

joana

katie melua

lamb

lidia

linkin park

livro do desassossego

lua nova

lua nova trailler

maria fátima soares

meu blog na revista brasileira de música

mian mian

michael jackson

muse

música para os meus ouvidos

natal

natalie imbruglia

ne-yo

nelly furtado

nós

o estranho caso de benjamin button

o principezinho

o que aqui revelo é para ficar entre nós

pablo neruda

paulo coelho

pearl jam

pedro khima

pérolas

pink

placebo

que surpresa tão linda

quem quer ser bilionário

rilke

rita redshoes

saint-exupéry

seal

simple plan

stephenie meyer

system of a down

teorias da conspiração

the rasmus

tokio hotel

último post

vikas swarup

whitney houston

within temptation

todas as tags

favoritos

Quero-te

Insónia

É À NOITE

Esfera

Palavras

ESSES TEUS CINCO SENTIDOS...

É

Porque não pára o tempo?

Confiança

Alma

links
visitas
free hit counter
blogs SAPO
subscrever feeds